Shadow

Desvio de Bitcoin é investigado pela Polícia da Coreia do Sul

coreia do sul bitcoin

A Terraform Labs está sendo oficialmente investigada pelas agências policiais sul-coreanas. A Polícia Metropolitana de Seul começou a investigar alegações de apropriação indébita de uma quantidade não revelada das posses de Bitcoin (BTC) da Terra.

A verdade é que após o colapso que aconteceu em maio, muita coisa precisa ser esclarecida para as autoridades. A Terra possuía US$ 3,5 bilhões em Bitcoin em suas reservas e usou em uma tentativa fracassada de estabilizar o preço do UST.

Daniel Shin (co-fundador da cripto) negou as acusações de fraude e disse:

“Não havia intenção de enganar. A empresa queria inovar o sistema de liquidação de pagamentos usando a tecnologia blockchain.”

Ainda em maio, foi divulgado um relatório ainda incompleto pelas as autoridades sul-coreanas que estimam que cerca de 280 mil sul-coreanos foram prejudicados direta e indiretamente pelo colapso da UST e Luna (LUNC).

acoes prejuizo luna

Com o derretimento da stablecoin da Terra, a empresa lançou um novo token (LUNA). O LUNA foi enviado para os donos do ativo anterior e atualmente estásendo negociada a US$ 3,12, com um valor de mercado de US$ 642 milhões, e perdeu 80% de seu valor desde o pico da semana passada.

A investigação sobre Bitcoin continua

A investigação edestaca que um funcionário em especial está sendo investigado por estelionato pela polícia da Coréia do Sul.

O portal local, Chosun Biz,divulgou que o funcionário acusado está sendo acusado de desviar bitcoins dos fundos corporativos da empresa que desenvolvia o ecossistema da blockchain Terra, formado pelas criptomoedas derretidas LUNA e UST.

Até o momnto, segundo as autoridades que investigam o caso, não existem indícios que Do Kwon, fundador de Terra, esteve envolvido de alguma forma envolvido com a fraude.

Tudo indica e parece que foi uma ação individual, de um único funcionário. essa investigação que começou em maio, após uma denúncia anônima, desencadeu o congelamento dos ativos do acusado que estão em corretoras de criptomoedas.

Nesse momento, a Terraform Labs, já é acusada de ter lavado cerca de US$ 5 milhões por meio de uma empresa de fachada da Coreia do Sul. A acusação gravíssima foi publicada pelo portal de TV KBS.

Porém, de acordo com a mesma reportagem, Do Kwon transferiu 6 bilhões de won (US$ 4,8 milhões) para uma empresa de consultoria blockchain com sede na capital do país, Seul.

O dinheiro – segundo a acusação – foi declarado como “outras despesas” no imposto de renda da Terraforms.

A polícia já realizou intimações e continua a investigação

bircoin

Mesmo com a investigação focando em um único funcionário até o momento, a coisa piorou quando no dia 28/05 a emissora local JTBC divulgou que vários outros funcionários também foram intimados por promotores para depor sobre as operações da empresa.

Dia 31/05 também foi divulgado por um cana sul-coreano que a polícia está intensificando a supervisão ao setor cripto após o crash do ecossistema Terra e que para isso será criado em caráter de urgência o ‘Comitê de Ativos Digitais’.

esse novo órgão do governo e da polícia será uma versão maior e reorganizada do Comitê Especial de Ativos Virtuais (SCVC).

Mais notícias em breve!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.